A casa das senhoras distintas – Lis Wey

Liz Wey no Comenta Livros

Pensa numa pessoa encantada com essa capa maravilhosa e bem curiosa com o que continha em cada página. Uma surpresa muito boa e que valeu a pena ler.

Estamos em Londres por volta de 1800 conhecendo a vida de Juliette e Claire, irmãs de Marcelle. Todas de sangue azul , nobres, mas com personalidades bem diferentes.

Já imaginou um lugar para se encontrar somente com suas amigas, onde tudo pudesse acontecer? Nesse lugar todas eram elas mesmas, sem preconceitos, julgamentos, cobranças, que naquela época eram fortes.

Assim foi criada essa casa para as mulheres se divertirem, jogarem conversa fiada, jogarem jogos proibidos, beberem e porque não alguns encontros com danças sem sexo envolvido?

Naquela época não existia algo assim por isso a temperamental Marcelle conseguiu essa proeza, onde nome eram proibidos e rostos escondidos atrás de máscaras.

Um lugar perfeito e é nesse ambiente que entramos na vida da doce Claire e de seu amor proibido com Nathan. Filhos de famílias rivais, vimos nesses dois a vontade de ficarem juntos a qualquer custo, passando por cima de tradições e de todos. Linda estória, com um final lindo e bem agradável.

Depois estamos na vida de Juliette que a princípio achei chata e cansativa, típica mulher de um duque, casada somente para eventos sociais e para a procriação que no caso para seu azar, foi uma menina. Lembrem-se que os homens queriam machos para a continuação do nome da família.

Vida fútil, seu marido tinha várias amantes e assim, acompanhamos todo o seu drama, a sua infelicidade, por sentir-se só, sem amor, principalmente daquele que imaginava ser o seu príncipe.

Essa estória foi bem triste, mas bem intensa, onde torci a cada instante por ela e por uma segunda chance, o que inesperadamente aparece um sheik chamado Amin, que foi sem sombra de dúvida, o melhor personagem.

Cheio de princípios e senso de justiça ajudará muito Juliette no momento mais difícil de sua vida e será  o ponto alto do livro. Além dela detestar onde ele trabalhava, pois no começo ele escondeu sua origem, então era engraçado ver o quanto Juliette o desprezava.

Não quero contar mais nada para não estragar a surpresa, mas leiam e me digam se você e nem percebe que já chegou o final.

São 229 páginas, com um preço ótimo para livro digital e bem dentro da média para livro físico.

Tenho certeza que vocês gostarão dessa viagem no tempo, onde a mulher não tinha vez para nada, mas tudo pode mudar.

Espero que gostem, não esqueçam de curtir, compartilhar e seguirem o blog nas redes sociais.

Ficarei feliz de dividir comentários com vocês.

Boa leitura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *