Ladrão de cadáveres – Patricia Melo

Ladrão de Cadáveres no Comenta Livros

Me entusiasmei muito com a sinopse dessa literatura policial, que fazia algum tempo que não lia nada parecido.

Como Robert Louis Stevenson, no clássico livro cujo título inspirou este romance, Patricia Melo nos leva ao mundo mais profundo da mente humana onde encontramos cinismo, violência e indiferença.

O livro Ladrão de cadáveres, de Patrícia Melo, recebeu o Deutscher Krimi Preis 2014 na categoria internacional.

Com certeza sentei e esperei a melhor leitura em minha vida. E foi, posso garantir e recomendar que arrumem um tempo e mergulhem nesse suspense policial.

O ambiente da estória é o ensolarado e quente Pantanal Mato-Grossense.

Tudo começa com um ex-gerente de telemarketing que num momento de raiva dá um tapa na cara de sua funcionária. O mesmo pede desculpas, mas a moça reage de uma forma passiva e dia após dia os dois não trocam mais nenhuma palavra.

Um belo dia ao chegar no seu trabalho recebe a notícia que a mesma havia se suicidado. Ele fica arrasado, pois não queria ter feito aquilo e acredita que a sua morte foi devido o tapa que recebeu.

O que ele não contava é que a estória da agressão se espalhou e o mesmo foi despedido. Ficou dias deprimido, imaginando o que ia fazer, até que seu primo, para ajuda-lo, leva-o para Corumbá, assim fugiria do estresse de São Paulo.

Estando em Corumbá, resolve um belo dia pescar, já que trabalho estava muito ruim e quando percebe, um avião cai poucos metros onde estava. Ele corre para lá, mas o piloto estava morto.

Ao tentar ajudar, percebe que não adianta mais e vê que no banco do passageiro tem uma mochila com cocaína. Sim, ele abriu, viu e lógico que o capeta começou a atentar.

Aí tudo começa, porque ele pega a mochila e ao chegar em casa percebe que o piloto morto é filho e herdeiro de um dos maiores fazendeiros da região. Contudo, a ganância, o poder, mentiras, sexo, ressurge dentro desse homem.

Muitos erros, equívocos, mistérios, suspense o tornam violento e ele mergulha  no mundo do narcotráfico com crime e morte.

Os diálogos, assim como os personagens são fortes, as 208 páginas, você deseja que não acabe nunca e em certos momentos até torce para que o mocinho que virou bandido, se dê bem.

Na verdade, ele sempre foi um bandido, mas com a oportunidade batendo a sua porta, o lado mal falou mais alto.

Tudo que ele deseja é se livrar de uma vida fracassada. Lógico que envolve várias pessoas e então você percebe como o ser humano é facilmente manipulado quando está numa situação difícil e nem pensa nas consequências e nas pessoas que podem se machucar.

Os diálogos são contagiantes, objetivos onde a violência dá espaço ao suspense com momentos divertidos e um final de tirar o fôlego.

Valeu cada página virada, me envolvi demais e quando acabou não via a hora de comentar aqui.

Comprem o livro pois o preço é muito bom e me digam o que acharam. Curtam, não esqueçam de comentar.

Sempre falo da capa mas essa aqui com certeza não me chamou a atenção, somente a estória que valeu a pena.

Até o próximo mistério policial.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *