Memórias Póstumas de Brás Cubas – Machado de Assis

brás cubas no comenta livrosNunca tinha lido esse livro, nem na época do vestibular. Gosto de Machado, mas esse livro particularmente achei cansativo, não via a hora de acabar.

Lógico que para a época foi um marco, Brás contar suas estórias depois de morto. Mas agora lendo pareceu sem graça. Ele ironizava a sociedade brasileira e seus costumes. Conta pouco da sua infância, fala muito sobre casamento arranjado, política e futilidades da sociedade rica.Se envolve com Marcela uma prostituta de luxo, despreza a filha de D. Eugênia porque era manca e mantém um romance durante anos com uma mulher casada que é a Virgilia. Ela era casada com Lobo Neves, um político que ele tentou se aliar e o romance termina de forma fria e sem graça.

Na época esse livro foi muito comentado porque era bem realista na percepção de sua análise sobre a vida sem se importar com o que as pessoas ao lerem, achariam.

No livro aparece o personagem famoso Quincas Borba, que eu achei bem lunático, e não consegui guardar muita coisa dele.

Brás foi bem fútil durante sua vida, não teve filhos, vivia se deliciando com a esbórnia e como ele mesmo dizia ” não deixou nenhum legado”. E acredito que ele nem amou Virgilia, acredito que foi mais a emoção do romance perigoso, que instigava ele.

O livro se passa na época de 1822, as condições da sociedade eram bem diferentes, os interesses eram fortes e o ceticismo estava presente.

Tem 282 páginas, a capa retrata o próprio autor e é encontrado em Sebos, livrarias, em internet com preço bem acessível.

Espero que gostem.

Boa leitura!

2 thoughts on “Memórias Póstumas de Brás Cubas – Machado de Assis

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *