Para onde vão os suicidas? – Felipe Saraiça

Para onde vão os suicidas? no comenta livros

Um livro que chamou a atenção por essa capa colorida que lembrou o dia dos mortos no México.

Cada vez mais escutamos notícias sobre adolescentes que se suicidam por não estarem felizes com a sua vida. Em contrapartida adultos entram nessa estatística ainda que mais fraco, pasmem.

Esse livro tem temas fortes, mas ao mesmo tempo, trata de um assunto que para muitos ainda é um tabu.

Angelina nasceu e sua mãe morreu no parto e a partir daí sua vida é uma droga. Seu pai fazia o que era possível para ter uma vida normal depois dessa decepção. No fundo sua consciência culpava Angelina mesmo que não demonstrando. Sua madrasta, ainda que boazinha, se comportava de forma discreta e sua irmã, era uma irmã caçula, portanto, chata.

Muitas perguntas sem resposta e para ajudar um colégio com alunos idiotas que faziam de tudo para tornar sua vida um inferno. Já imaginamos onde isso vai parar.

E o mais incrível é que tanto professores como a diretora não faziam nada para melhorar a sua vida.

Então, Angelina só podia pensar em se matar e acabar com todo o sofrimento.

tristeza.jpg

E assim tomou vários remédios e acordou diante de um ser que deu metas para que Angelina pudesse descansar em paz. Aqui falo dessa maneira para você leitor abrir a sua mente e imaginar várias situações.

Angelina estava em outro plano e via o sofrimento do seu pai de longe, mas sabia que tinha feito a coisa certa. Será?

Nesse momento o livro toma um rumo sensacional com Angelina “salvando” pessoas de fazerem aquilo que ela fez.

Cada personagem mais forte que o outro e a emoção fica realmente a flor da pele.

Não saberia dizer qual gostei mais, mas acredito que o pintor que não lembrava do seu grande amor, mas que depois, Angelina consegue mostrar a sua esposa a verdade, foi sensacional.

Tem a Morte e toda a sua caracterização, diálogos precisos e um final de deixar o seu queixo caído.

Um excelente livro de apenas 192 páginas para aqueles que tem tanta restrição quanto ao assunto, iniciarem um aprendizado de como podemos salvar pessoas de tanto sofrimento.

As vezes não percebemos o que está na nossa frente, não conversamos com quem precisa e daí é tarde demais.

O preço para livro digital e físico são excelentes.

Não perca a oportunidade de ler as histórias e pensar um pouco naquilo que fará bem ao próximo. Mas para isso nós precisamos querer e aceitar a ajuda, porque os problemas ficarão mais transitáveis e fáceis de resolver.

Espero que gostem e não esqueçam de curtir o comentário, seguir o blog. Sabem que fico muito feliz.

Boa leitura.

2 comentário em “Para onde vão os suicidas? – Felipe Saraiça

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *