Senhora – José de Alencar

Um romance do século XIX.

Jose de Alencar no Comenta Livros

Um livro muito importante na época do vestibular, já li duas vezes e cada vez que leio tenho uma percepção diferente.

José de Alencar destacou-se como um grande romancista de nossa literatura, além do romance urbano Senhora, publicou outras tendências de romance, como o romance indianista Iracema e o romance regionalista O gaúcho. Além de escritor, foi também crítico teatral e político. Morreu aos 48 anos em 1877, na cidade do Rio de Janeiro.

Nessa estória temos a bela, romântica, órfã, pobre, Aurélia Camargo,abandonada pelo seu noivo Fernando Seixas, que decide ficar noivo de Adelaide, uma moça muito rica.

Só que Aurélia, recebe uma herança e torna-se rica, mas também uma pessoa fria e decidida a acabar com a vida daquele que destruiu seu coração.

Ela se torna uma das mulheres mais desejadas e admiradas do Rio de Janeiro, mas através de seu tio Torquato, seu representante legal, faz uma proposta a Fernando para se casar com uma mulher mais rica que Adelaide.

Fernando era muito pobre e ao se casar com uma mulher rica, tenta proporcionar uma vida melhor a sua mãe e irmãs, e diante dessa proposta, aceita o acordo, mesmo sem conhecer a noiva.

Imagina os comentários da época em que viviam, onde na opinião das pessoas, Aurélia comprou um marido, um comportamento absolutamente escandaloso.

Quando finalmente se conhecem, Fernando percebe o que fez e se sente humilhado, uma vez que viverão apenas um casamento de fachada, onde as ofensas faziam parte da vida diária.

Essa parte do livro é bem interessante, porque Fernando se vê como um escravo, nada pode decidir, apenas aceitar.

Quando o livro se encaminha para o final, percebemos o erotismo que José de Alencar implica na estória e aborda muito bem o orgulho de ambos em aceitar a situação, esclarecer tudo e então se entregarem ao amor. Pois sim, eles se amavam.

Fernando se transforma, já não é aquele homem ambicioso, percebe que não precisa de muito para viver e toma uma decisão. Começa a trabalhar dedicadamente e devolve todo o dinheiro que Aurélia “pagou” por ele, pedindo o divórcio. Mais um escândalo para a época.

Então em uma das várias brigas que tinham,  Aurélia que o ama com todas as suas forças, decide mostrar seu testamento, feito no dia do seu casamento, onde deixa toda a sua fortuna para Fernando e declara seu amor.

Ambos se entendem, consumam o casamento e o livro termina de uma forma linda, respeitosa, mas com muitos ensinamentos ou questionamentos.

José de Alencar faz um romance urbano, mas com uma metáfora da alta apreciação de valores fúteis, como o luxo, a ascensão social, o desejo, o orgulho e a ambição.

Poderá o amor vencer a mágoa e o orgulho para que possa ser pleno na vida dessa personagem?

Sendo um dos últimos de Alencar, Senhora é um romance urbano que retrata o casamento por interesse numa sociedade de aparências e contradições do século XIX, mesma época em que o autor vivia. Nessa obra pertencente à época literária do Romantismo já é possível observar características do Realismo e do Naturalismo.

Através dos diálogos e discussões entre Fernando e Aurélia, podemos notar a visão crítica que estes possuem da sociedade, onde o casamento não é apenas por amor, e mais por interesse. Esse costume social, criticado muito pelo autor.

Existem outros personagens  bem fortes como D. Emília (mãe de Aurélia), D. Firmina (acompanhante de Aurélia), Torquato Ribeiro (amigo e apaixonado por Adelaide), Eduardo Abreu (apaixonado por Aurélia, paga o sepultamento de seus pais).

Enfim, estamos diante de um livro forte, impactante, com 248 páginas, muito legal, que vale a pena ler. È bom sabermos o que acontecia naquela época.

Acredito que várias pessoas já leram. Preço muito bom.

E vocês já leram ? Comentem aqui e não esqueçam de curtir ou dar um “like” com falam agora.

Boa leitura e bom vestibular!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *