Tristão e Isolda – adaptação de Helena Gomes

Um amor digno de uma estória.

Tristão e Isolda no Comenta Livros

Entre as estórias de amor que conhecemos tem Tristão e Isolda, mas nunca tinha lido, apenas estudado no colégio e isso já faz um bom tempo. Mas quando fui a casa de minha amiga e me vidrei na sua estante de livros, vi esse e me encantei.

Peguei emprestado e terminei de ler em apenas dois dias porque realmente me prendeu muito a atenção. Já sou fã da escritora, mas a adaptação dessa estória ficou sensacional, com um final lindo e triste. A edição que peguei é antiga portanto a capa não me chamou a atenção,  mas retrata Tristão e tem 231 páginas com algumas ilustrações.

Fácil de ler  sem palavras difíceis com uma objetividade que deixa claro o quanto esse casal representou para a nossa história, se é que eles existiram.

Tristão, segundo informações da escritora, já era famoso por suas aventuras no século VII, mas se existiu algo registrado perdeu-se no tempo. O que costuma falar é que é uma lenda celta da paixão entre um jovem guerreiro pela filha do rei da Irlanda.

No começo do livro, a escritora nos apresenta os fatos, fala um pouco da relação da estória com a do Rei Arthur e como depois de muito tempo virou poesia até chegar a esse conto de fadas. Como diz a escritora “ há uma boa mistura de fantasia e elementos reais, muita aventura e emoção.”

Tristão era filho da rainha Brancaflor e do rei Rivalen, ambos do reino de Lyonesse. Sua mãe morre ao dar a luz e deixa escolhido seu nome, no qual ele não gostava muito.

Seu pai foi assassinado dias antes do nascimento através de uma emboscada e foi muito difícil para sua mãe, uma vez que se amavam de uma forma linda.

Após isso, Tristão vive com seu pai adotivo Rohalt, alguém severo, pulso firme e então a aventura começa. Tristão aprende desde cedo a lutar com dragões pois tem um professor de armas que é o Sr. Gorvernal.

Após uma viagem com seu mestre, Tristão chega a Tintagel  e conhece seu tio Mark no qual se simpatizam imediatamente um pelo outro.

Para defender o reino de seu tio luta com o gigante Marhaus da Irlanda onde acaba matando-o, mas fica muito machucado. Sua vida corre perigo, até que ele foge num dia de desespero e conhece Isolda. Essa acaba cuidando dos ferimentos e sem querer se apaixona. Isolda era filha de feiticeira, portanto tinha o mesmo dom que sua mãe.

Tristão fica no reino de Isolda sem ela saber quem ele é. Na verdade ele também se apaixona pela bela dos cabelos de ouro.

A partir daí você não larga mais o livro, Os caminhos de Tristão e Isolda se desencontram tantas vezes que esse amor quando explode, acontece o que mais temiam: magoam uma pessoa que Tristão ama muito.

Nesse caminho Tristão ainda luta com gigante, Isolda se casa e o amor dos dois fica enterrado no fundo do coração. Fora as traições de pessoas ao seu redor também fazem parte dessa estória.

Esse amor não poderia acontecer, pois haviam interesses nos reinos, dessa forma Tristão tem um destino diferente e Isolda acompanha seu amado.

Não posso comentar muita coisa, vocês tem que ler, só posso dizer que é um amor que realmente  ultrapassa as barreiras da responsabilidade, da política. Em primeiro lugar vem o reino, seu povo, depois o coração.

Um amor proibido, lindo que não pode ser vivido como deveria mas que deixou uma mensagem para aquele povo da época: força, coragem, determinação e acima de tudo confiar na pessoa certa.

Vale lembrar que o rei Arthur aparece em algumas passagens do livro, e como sempre demonstrando toda força de seu exército.

Gostei demais de ler, foi uma viagem nos tempos dos trovadores, com menestrel, rainhas, fadas, magias. As guerras como sempre presentes e alguns povos morrendo de fome nos reinos. Tudo isso de forma simples, mas bem escrita.

Preço muito bom para livro comum, fácil de achar nos Sebos.

Leiam e comentem aqui o que acharam, curtam o comentário e o blog. Tenho certeza que não se arrependerão.

Boa leitura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *