Guerra à saúde – Ugo Braga

Ganhei esse livro em dezembro da Leya Editora e fiquei encantada ao ler esses dias.

Vou colocar um pouco da vida do escritor para dar crédito a tudo que ele escreveu no decorrer das 336 páginas.

Ugo Braga é pernambucano, mas vive em Brasília desde 1996. Jornalista, pós-graduado em economia pela UFRJ, atuou por muitos anos na cobertura econômica, mas foi sendo transferido paulatinamente para a cobertura política, tornando-se repórter investigativo. Foi repórter e editor no Jornal do Brasil, Correio Braziliense, Estado de Minas e Jornal do Commercio, das revistas Época e IstoÉ, e das emissoras TV Brasília e TV Alterosa, de Minas Gerais.

Recebeu prêmios de jornalismo no Brasil e no exterior. Foi porta-voz e secretário de estado de Comunicação Social no governo do Distrito Federal, dirigiu a área de comunicação dos ministérios da Aviação Civil e do Esporte e também do Programa de Parcerias e Investimentos da Presidência da República e Justiça.

Em 2020, dirigia a Assessoria de Comunicação Social do Ministério da Saúde quando a pandemia do coronavírus surgiu na China, se espalhou pelo mundo e chegou ao Brasil.

Tornou-se consultor externo da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) e atua como consultor independente na empresa que fundou há oito anos, a Casa Forte Comunicação Integrada.

Agora vamos a história.

Ugo relata os dias de sua vida profissional ao lado de Luiz Henrique Mandetta, Ministro da Saúde.

O que está escrito é a verdade de como foi desde a chegada desse vírus (Coronavírus) até o último dia de trabalho de Mandetta. Ugo foi Diretor de Comunicação do Ministério da Saúde.

Não estou aqui fazendo apologia a política nem tão pouco dizendo que deve acreditar no que comento, mas tudo que Ugo escreveu sempre foi a minha opinião.

Desde a chegada do vírus o povo sofre por incompetência de um governo ausente e extremamente autoritário, birrento e sensacionalista quando lhe diz respeito.

Os dias de trabalho exaustivo da equipe mostram que nem sempre vemos aquilo que é mostrado. Noites sem dormir, sem comer, sem ver a família onde só interessava salvar vidas.

Diálogos, sensações, crises, reuniões, telefonemas tudo contado de forma detalhada e mais uma vez fica a sensação de que perdemos um grande profissional regido por um incompetente de um político que deveria dar exemplo e não disseminar a discórdia e mentiras dentro de um governo.

O livro é incrível porque até o último dia de Mandetta percebemos como ele trabalhou incansavelmente dentro do Ministério com uma equipe competente tentando entender um vírus que ninguém conhecia e que estava acabando com vidas.

Independentemente de seu partido político leia e saia da caixinha e perceba o que está na nossa frente e na hora de votar pense melhor e não critique antes de verificar a autenticidade das respostas.

Não tenho partido, nem tampouco um político que gosto, mas diante da maior pandemia do mundo com tantos mortos no Brasil, principalmente, só peço a Deus que nos proteja nos dias que virão.

Foram 19 dias com 140 mil mortos informados na época e como o escritor fala, “vivemos uma montanha-russa de discordâncias entre Ministro e Presidente” que culminou na sua saída e dias depois na exoneração de Ugo.

O livro foi escrito com o aval de Mandetta o que deixa claro como a verdade sempre prevalecerá.

O preço do livro digital está igual ao livro físico, mas adorei esse presente e guardarei para toda a minha vida com a certeza de ter a minha opinião desde a primeira coletiva do Ministério da Saúde.

Livro muito bem escrito, fácil de ler com muita objetividade.

Espero que tenham gostado.

Até o próximo comentário.

Quer ouvir o podcast?

Podcast Guerra à Saúde

Redes Sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: