O Encanto de Lerfreut – Maria Fernanda Baladore

Esse livro foi resenhado no Instagram e me interessei pelo título e pela capa.

Nem imaginava que possui 614 páginas, preço ótimo para livro digital e dentro do orçamento para livro físico.

A leitura é bem interessante com temas fortes como a homofobia, o suicídio e a depressão, além de falar bastante entre as almas boas e as almas más.

O ambiente que a história é contada é na cidade de Lerfreut que foi pouco explorada, não consegui me imaginar lá, acredito que foi um dos pontos negativos pois poderia ter sido mais detalhada, daria um contexto a mais em tudo.

Lá vivem Everlin e Leonhart, filhos gêmeos de um rei (Petrus Dilux) e rainha  (Kena Dilux) completamente homofóbicos com diálogos fortes que você sente raiva e a dor de Leonhart que é um homossexual e não entende como as leis não deixam duas pessoas do mesmo sexo viverem esse amor. Lembrando que são adolescentes ainda, então imagina a confusão de sentimentos dentro deles.

Leonhart é um personagem fraco, depressivo, que pensa e comete suicídio no decorrer das desilusões da sua vida. Ele é forçado a ser o sucessor de seu pai e isso ele detesta, porém não fala não e faz tudo que é imposto.  

Já sua irmã Everlin é uma pessoa forte, sincera que odeia as regras que seu pai fez e o enfrenta rendendo ótimos diálogos e situações. Ajuda muito seu irmão e é a única que o ama de verdade naquela família. Adorei a personagem que não quer casamento arranjado, quer ser livre, lutar, viver acima de tudo.

Percebemos que a luz pertence as pessoas boas e as trevas as pessoas más onde a cidade é controlada pelo rei e pai dos gêmeos Petrus Dilux. Eles são encantadores da vida e da morte.

A cidade está em guerra com um acontecimento que desequilibra a cidade e pessoas morrem com a chegada das almas perdidas. Acredito que ficou um pouco a desejar, em certos momentos me perdi na história.

Para ajudar o rei chega na cidade o misterioso Bluwen que será importante até o final da história. Ele é um misterioso rapaz que se apaixonará por Leonhart e enfrentará sua condição em busca do amor e de uma vida diferente.

O livro é uma fantasia com guerra, personagens diferentes e fortes, outros fracos, mas com uma intensidade de carga emocional que você entende a fraqueza, casamentos arranjados, a figura da mulher que no reino era submissa as vontades dos maridos, além de guerras, disputa de poder, armações, segredos e um final estranho.

A história torna-se cansativa em alguns momentos porque fica muito em cima do romance de Leonhart e Bluwen. E quando você começa a gostar do personagem acontece algo no final que deixou pontas soltas, inacabadas.


Apesar de achar um pouco confuso e um final estranho é um bom livro de fantasia, mas poderia ser encurtado e detalhado outras coisas, aí sim ficaria bem interessante.

O título tem tudo a ver com o enredo e isso é bem positivo.

Li em alguns sites que terá uma continuação, então com certeza tudo que falei acima será esclarecido.

Espero que tenham gostado.

Até o próximo comentário.

Quer ouvir o podcast?

Podcast o Encanto de Lerfreut
Redes Sociais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: