Trama secundária de uma novela realista – Simone Campos

Mestre e doutora em Teoria da Literatura e Literatura Comparada, Simone Campos é escritora e tradutora. Estreou na literatura aos 17 anos e tem diversos livros publicados, como A vez de morrer, lançado em 2014. Seu novo romance, Nada vai acontecer com você, será publicado em breve pela Companhia das Letras.

Hoje comento mais um conto do nosso programa Contém um Conto, onde acompanhamos uma jovem doutora que vai para um povoado bem pequeno trabalhar lá.

Esse povoado tinha principalmente pessoas idosas uma vez que seus filhos trabalhavam longe dali.

Começou dando palestras explicando sobre alimentação saudável, doenças transmitidas por ratos, insetos ou transmissíveis sexualmente.

Tudo começou a mudar quando um lote de pílulas azuis chegaram na cidade e os velhinhos corriam para os prostíbulos, largando suas esposas para recuperarem o tempo perdido.

Mas como nem tudo são flores, apareceram pessoas infectadas com o HIV. Lá se foi nossa doutora a dar aulas sobre como colocar camisinha entre outros conselhos para pessoas idosas. O fim da picada. Sem querer eu já estava rindo da situação.

Mas seguiremos.

Num belo dia seu consultório estava arrombado e um grande lote de remédios havia desaparecido. Os ladrões queriam as tais pílulas mas as mesmas estavam com a doutora, que era uma pessoa precavida.

Resolveu negociar com os ladrões pois os remédios que haviam roubado eram muito importantes para o povoado e então efetuaram a troca: ela deu as pilulas azuis e eles os remédios roubados.

Lógico que ela explicou que as pílulas azuis não podiam ser tomadas por pessoas cardíacas e pediu a um dos bandidos que explicassem as pessoas que ele fosse repassar tal medicamento.

Mas algum tempo depois a doutora foi até o velório desse mesmo ladrão que ela explicou que não podia tomar. Sua morte? parada cardíaca. Seus comparsas estavam lá entregues ao álcool.

Saiu de lá com a missão de não desistir e então pediu transferência para outro povoado a fim de ter dias melhores.

Assim é nosso conto bem escrito, curto, com vários pontos interessantes como por exemplo a teimosia do ser humano, a desobediência mas principalmente a vontade de continuar seu trabalho de médica independente da região.

Espero que tenham gostado.

Até o próximo conto.

Redes Sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: