Textos da Dri – Me dá um carinho?

O Textos da Dri hoje é um desabafo.

Há algum tempo observo da janela da minha casa um cachorro bem bonitinho que fica no quintal de uma outra casa. Deve ter uns quatro ou cinco anos. Não somos vizinhos, mas consigo visualizar do local onde estou.

Muito bem, esse cachorro a quem darei o nome de Valente fica num espaço até que grande, entretanto isolado dos humanos e da parte interna da casa. Ele só os vê através de uma porta de vidro que separa a garagem do quintal.  

Quando chove seu espaço coberto é bem pequeno e se a chuva tiver mais intensidade acaba se molhando.

O que me deixa mais triste é que ninguém dá carinho ou brinca com ele, somente colocam a comida num lugar aberto viram as costas e seguem a vida.

Assim Valente vive seu dia-a-dia.  

Ninguém passa na rua desapercebido de Valente que sai em disparada latindo.

À tardinha quando dois adolescentes ficam na parte de cima da casa brincando com a bola, Valente fica embaixo latindo e correndo para brincar também, porém é ignorado! Ele corre até cansar e depois fica amuadinho num cantinho do quintal.

Seus brinquedos são as borboletas e os passarinhos que ficam voando e ele pula que é uma belezinha. Lindo de ver.

Banho? Passeio? Não fazem parte da rotina de Valente que parece ser dócil e muito brincalhão.

Não sei como conseguem ignorar um cachorro e me pergunto o motivo de terem ele, uma vez que nem ligam. Quando você tem um animal é para cuidar, dar amor, atenção e não ignorar, afinal de contas você gostaria que fizessem isso com você?

Aposto que alguma vez você foi ignorado e não gostou, então coloque-se no lugar de Valente.

Sempre que posso fico de olho para ver se tem alguma agressão, mas graças a Deus nunca presenciei nada.

Se eu tivesse espaço e lógico não tivesse Sebastian, Valente seria meu de alguma forma, acho que cometeria uma loucura!

Agora, Valente está deitado dormindo com as quatro patas para cima e no final da tarde ficará agitado por conta da hora da sua comida.

Triste isso, triste imaginar que alguém pega um cachorro e nem liga. Mas rezo para que Valente tenha um destino diferente.

Valente é um cachorro no meio de pessoas insignificantes, porém continua lá, firme, forte e valente pedindo um carinho que nunca vem, mas acredito e tenho esperança de que algum dia alguém brinque com ele e o faça feliz.

O intuito deste texto é para pensarmos em nossas atitudes e saber que temos a obrigação de proteger e preservar os animais, qualquer um, de agressões e maus tratos.

A nova geração precisa se importar com isso também.

 Já está mais do que comprovado que cavalos, cachorros, por exemplo ajudam crianças, velhinhos, jovens em sua condição física e mental. Na prática quem tem um bichinho sabe que amor lindo recebemos toda vez que chegamos em casa ou estamos tristes.

Lute pelos seus sonhos, seja uma pessoa melhor, agradeça sua vida e faça sempre o bem sem esperar nada em troca e isso vale para aquele que não fala, mas tem sentimento e percebe com certeza o desprezo e o despreparo de pessoas que não evoluíram, ainda.

Sem mais palavras, triste e rezando por um mundo melhor encerro com uma frase que encontrei na internet e achei bem apropriada para a ocasião.

Você pode julgar o verdadeiro caráter de um homem pela maneira como ele trata seus companheiros animais.

O título do texto foi sugestão do meu marido e gostei porque tem tudo a ver com a situação.

Até o próximo Textos da Dri.

Adriana Mellado

Redes Sociais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: