Ninguém disse que seria eterno – V.F. Duquina

Uma semana começando e o comentário de hoje é bem legal e tive conhecimento do livro através do Instagram.

O livro de 201 páginas com capa linda, preço ótimo para livro digital foi muito bom de ler. Uma leitura onde todas as pessoas podem entrar nesse mundo dos jovens do ensino médio.

Tudo começa com Bárbara, uma menina muito tímida e retraída, com um talento incrível para desenhar, inteligente, que estuda numa escola particular graças a uma bolsa de estudos.

Apesar de um cenário difícil, Bárbara consegue se livrar de algumas situações com o apoio dos amigos Bernardo e Luana. Bárbara vive com sua mãe e um irmão mais novo, Eduardo, seu pai é falecido.

Uma cena que ficou marcada foi o diálogo entre Bárbara e sua mãe. O assunto foi como ambas sentiam-se desconfortáveis com uma situação e foi construído de uma forma madura onde a amizade entre mãe e filha, além do respeito, prevaleceu.

Bárbara é uma menina muito esforçada porque estuda e ainda trabalha na biblioteca para levar um pouco de dinheiro em casa. Não passavam dificuldades, porém ajudar era seu lema. Além disso, ela não fazia ideia da como era forte e admirada pelos seus colegas de escola.

Ela é uma personagem com dúvidas em relação a qual carreira seguir,  misteriosa, porém encantadora pois tem uma língua bem afiada e pensamentos fortes para uma adolescente, muito pé no chão sabem?

Porém, sua vida muda quando tem que fazer um trabalho com o jovem e popular Vinícius, rico, lindo e filho do prefeito. Pronto, sua vida não poderia ser pior, ela o odiava e parece que ele também não fazia questão de gostar dela. Mas com esse trabalho certas questões são esclarecidas e uma amizade nasce.

Então, a partir disso a história que já era boa ficou muito melhor. Os trabalhos com os outros alunos são difundidos e passamos a conhecê-los também.

Destaque para Lukas que é o melhor amigo de Vinícius e passa por um momento difícil em razão do divórcio de seus pais e da sua sexualidade. Lukas foi um destaque do começo ao fim se tornando de rival a melhor amigo de Bárbara.

Confusões acontecem no colégio, beijos, aceitações, dúvidas, amizade, sexualidade, preconceito são os itens que dão realidade a essa história.

Não posso deixar de falar que temos música pois Vinícius tem uma banda com Lukas e outros amigos e isso mudará o contexto num determinado momento.

Paixões são citadas de uma forma deliciosa e muito real, sem forçar nada. Preconceito e bullying são bem relatados além da sexualidade que foram pontos fortes.

Esperem um drama muito impactante no final com lágrimas, porém a escritora encerra com uma nova etapa na vida deles que é a faculdade.

Com essa nova etapa, a amizade, companheirismo e lealdade deixaram um gostinho de que valeu a pena estudar nessa escola com pessoas tão diferentes, mas que amadureceram e fizeram naquele momento a escolha certa.

Um livro que foi bem interessante do começa ao fim, onde a escritora nos coloca no cenário e tudo fica explicado e nada é exagerado. Os personagens tem características reais e próprias para a idade também sem exageros. Para ficar leve a história, a introdução de uma banda fez toda a diferença porque é o que temos visto muito nos dias atuais. Além de mostrar como a música é uma fonte de expressão entre os jovens.

Enfim recomendo a leitura e espero que tenham gostado.

Até o próximo comentário.

Quer ouvir o podcast?

Podcast – Ninguém disse que seria eterno

Redes Sociais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: